É natural que os humanos comam carne?

A maioria das pessoas assumiria que comer carne é natural, pois muitas culturas têm comido animais durante quase toda a História documentada. Existem até evidências que sugerem que comer carne era essencial para o desenvolvimento humano dos nossos antepassados primordiais. Apesar do legado humano de comer carne, já não vivemos na idade da pedra e por isso podemos dar-nos ao luxo de ser mais selectivos nas nossas dietas.

A tecnologia tem avançado desde o tempo dos nossos antepassados, proporcionando-nos a oportunidade de nos afastarmos desses hábitos carnívoros. O avanço na agricultura e no transporte de alimentos nos permite obter uma selecção rica e diversificada de alimentos à base de plantas, enquanto os métodos de armazenamento, confecção e processamento de alimentos têm gerado formas inovadoras e satisfatórias de absorver e desfrutar dos nutrientes que estes alimentos nos fornecem.

Infelizmente, utilizámos muitas destas tecnologias para produzir excessivamente carne, em detrimento da nossa saúde, do ambiente e dos nossos homólogos animais. Dado que 70 mil milhões de animais são criados anualmente, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) descreve a agricultura animal como “provavelmente a maior fonte sectorial de poluição da água que contribui para a eutrofização, zonas “mortas” nas zonas costeiras, degradação dos recifes de coral, problemas de saúde humana, emergência de resistência aos antibióticos e muitos outros”.

Quando os arqueólogos observam os nossos antigos parentes, Homo erectus, os dados sobre as suas dietas paleolíticas são circunstanciais, uma vez que os restos esqueléticos animais são mais fáceis de identificar do que os restos vegetais perecíveis. Recentemente, cientistas denunciaram este excesso de ênfase, que originalmente nos levou a acreditar que os nossos antepassados consumiam uma dieta predominantemente à base de carne. E hoje em dia, alguns dos nossos parentes mais próximos – chimpanzés, gorilas e outros grandes símios – prosperam com dietas baseadas principalmente em plantas, com fontes estimadas de alimentação animal e de insectos representando 10% ou menos da sua dieta. As dádivas de um antepassado comum são provavelmente a razão pela qual possuímos as enzimas e a estrutura do maxilar necessárias para desfrutar de uma dieta vegana.

Assim, embora possa ter sido natural, e possivelmente tenha sido necessário comer carne há milhares de anos, temos agora uma oportunidade de evoluir para além dessa história. Ao adoptar uma cultura à base de plantas, nós, humanos, seremos capazes de melhorar a crise de saúde global e reduzir o nosso impacto no planeta e nos animais com quem o partilhamos. O nosso consumo de carne pode ter sido outrora natural, mas a nossa crueldade para com os animais, a devastação ambiental e o consumo excessivo não o são, certamente.

Adopta a dieta vegana durante a Quaresma

Descarrega o Kit