Participe da mudança!Tire as pandemias do cardápio

Por quê?

Há uma lição que nós, como espécie, não conseguimos aprender, apesar de centenas de anos de avisos contundentes. Tuberculose, sarampo, coqueluche, febre tifoide, hanseníase e resfriado têm uma coisa em comum: são doenças que “saltaram” de animais para pessoas quando começamos a domesticar, criar e explorar animais.

  • Milhões de mortos

    Matar animais nos mata também. Apenas nos últimos cem anos, as pandemias de gripe se espalharam pelo mundo matando até cem milhões de pessoas e devastando a vida de inúmeras outras.

  • Proteja nosso planeta

    A pecuária gera desmatamento; desloca a vida selvagem e nos expõe aos patógenos que eles hospedam. Cientistas nos dizem há anos o que é preciso fazer para proteger nosso planeta e a nós mesmos. É hora de ouvir e agir.

  • Precisamos mudar

    Nossa forma desrespeitosa de lidar com os animais coloca nossas vidas e as vidas de nossos entes queridos em grande risco. Para evitar outra pandemia, precisamos mudar nosso relacionamento com os animais, e isso começa tirando-os dos nossos pratos.

Ajude-nos a compartilhar esta mensagem

  • Faça uma “selfie de apoio”

    Marque @MillionDollarVeganBrasil em sua foto nas mídias sociais usando uma máscara com a hashtag #TireAsPandemiasDoCardápio.

  • Filtros para Facebook

    Altere sua foto de perfil usando um dos nossos filtros #TireAsPandemiasDoCardápio.

  • Compartilhe o vídeo

    A Covid-19 não é a primeira pandemia que enfrentamos e, a menos que mudemos nosso comportamento, não será a última. Ajude-nos a educar outras pessoas sobre o que podemos fazer para evitar futuras pandemias.

  • Faça parte do movimento

    É hora de fazer a conexão entre a pecuária e a destruição ambiental, a resistência a antibióticos e os surto de doenças infecciosas; e é preciso tirar os animais de nossos pratos. Tornar-se vegano nunca foi tão fácil, nem tão essencial.

Como evitar a próxima pandemia

Apenas nos últimos cem anos, as pandemias de gripe se espalharam pelo mundo matando cerca de cem milhões de pessoas. Elas foram seguidas pela Sars, gripe aviária, gripe suína, Mers e agora Covid-19. Cada uma dessas doenças infecciosas se espalhou rapidamente após serem transmitidas de animais para seres humanos, e todas elas existem como resultado direto da exploração de animais para consumo de sua carne, leite, ovos e peles.

CAMPANHA ORGULHOSAMENTE APOIADA POR

  • Dr. Michael Greger

    Médico, fundador do NutritionFacts.org
  • ABMV

    Associação Brasileira dos Médicos Vegetarianos
  • Dra. Karla Santone

    Médica mastologista
  • Dra. Fernanda de Luca

    Médica pediatra e nutróloga
  • Alicia Silverstone

    Alicia Silverstone

    Atriz, escritora e fundadora do site TheKindLife.com
  • Dr. Neal Barnard

    Médico, presidente do Comitê de Médicos para Medicina Responsável (PCRM)
  • Mýa

    Mýa

    Cantora/compositora premiada com o Grammy e filantropa.
  • Damien Mander

    Damien Mander

    Criador da Fundação Internacional Anticaça (IAPF) e palestrante do National Geographic Live
  • Prof. Aaron Gross, PhD

    Prof. Aaron Gross

    Professor associado da Universidade de San Diego e CEO/fundador da FarmFoward.org.
  • Evanna Lynch

    Atriz, ativista e apresentadora do podcast "The ChickPeeps"
  • Prof. Peter Singer

    Professor de Bioética na Universidade de Princeton
  • Luisa Mell

    Luisa Mell

    Apresentadora de TV, ativista e fundadora do Instituto Luisa Mell.
  • Dr. Aysha Akhtar

    Neurologista e autora de "Our Symphony with Animals"
  • Dr. Peter Li

    Professor de Política da Ásia Oriental
  • Dr. T. Colin Campbell

    Bioquímico nutricional, autor de The China Study
  • Dr. Dean Ornish

    Médico, presidente do Instituto de Pesquisa em Medicina Preventiva (PMRI)

Dobrando a aposta

Em vez de reconhecer o sistema mortal que criamos, aprendendo com as pandemias passadas e mudando, nós dobramos a aposta.

Continuamos a produzir, criar, capturar e abater animais em uma escala inimaginável, de modo que agora, em todo o mundo, bilhões de animais estão amontoados dentro de galpões industriais imundos. Doentes e fracos, eles vivem em condições precárias, o que gera ambientes perfeitos para o surgimento de doenças. Para mantê-los vivos por apenas algumas semanas ou meses, esses animais recebem grandes quantidades de antibióticos. O uso excessivo de antibióticos é mortal: as doenças tornam-se resistentes às drogas, e é assim que surgem as superbactérias, contra as quais não temos remédios que possam enfrentá-las. Se não acabarmos com essa prática, os especialistas alertam que infecções simples e tratáveis passarão a nos matar.

Crédito: Animal Aid

Risco de propagação de vírus

A pecuária é o principal fator de desmatamento e destruição de hábitat natural no mundo.

Somente a América Latina é responsável por destruir 2,71 milhões de hectares de floresta tropical a cada ano. No Brasil, 80% do desmatamento é causado para a abertura de pastos. Quando derrubamos florestas, destruímos o hábitat de animais selvagens e acabamos forçando nossa proximidade com eles. Isso nos deixa expostos aos patógenos mortais que eles incubam, permitindo que novas doenças entrem em contato conosco. Pesquisadores afirmam que quase metade de todas as doenças transmitidas de animais para seres humanos desde 1940 podem ser atribuídas a mudanças no uso da terra, à pecuária e à caça.

Nossos vídeos

Leitura importante

Experimente uma alimentação vegetal por 31 dias

Descubra o veganismo