Por que os veganos não vivem sua própria vida e deixam os outros viverem a deles?

É exatamente isso que os veganos querem fazer!

Queremos ter uma vida longa e saudável e garantir que as pessoas que amamos possam fazer o mesmo. De fato, muitas pessoas chegaram ao veganismo pesquisando maneiras de melhorar sua própria saúde ou a de um ente querido. Eles, como nós, querem muito viver e deixar que os outros vivam.

E isso vai além de nossa própria família e círculo social. Hoje, cerca de 820 milhões de pessoas não têm comida suficiente, de modo que a desnutrição contribui para 45% das mortes de crianças menores de 5 anos.1 Por que isso é relevante? Porque os alimentos que ingerimos geram impacto nas pessoas mais pobres do mundo.

Quanto mais carne comemos, menos comida há para alimentar outras pessoas. Isso ocorre porque os animais da indústria pecuária não convertem eficientemente ração em carne e, portanto, recebemos menos calorias na carne, leite e ovos do que fornecemos a eles em forma de ração.

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) coloca desta maneira: “Quando o gado é criado em sistemas intensivos, eles convertem carboidratos e proteínas que, de outra forma, seriam consumidos diretamente pelos seres humanos e os usam para produzir uma quantidade menor de energia e proteína”. 2

No total, um terço da colheita mundial de cereais3 e 70% da colheita de soja do planeta4 são fornecidos a animais da pecuária. Se essas safras fossem disponibilizadas diretamente às pessoas, poderíamos erradicar a fome no mundo hoje. Nós poderíamos viver e deixar que os outros vivessem.

Também consideramos as pessoas cujas vidas foram viradas de cabeça para baixo e sua saúde comprometida por grandes fazendas de criação intensiva chamadas Concentrated Animal Feed Operations (CAFOs). Pessoas como Elsie Herring sofrem de problemas de saúde debilitantes e dolorosos por causa das práticas da indústria pecuária. Para Elsie e sua família, as doenças respiratórias são comuns em decorrência do chorume de origem animal despejados na terra. Com muita frequência, essas fazendas enormes e tóxicas são construídas em comunidades pobres onde os moradores têm pouca influência política para protestar.5 Também pensamos neles e no seu direito de viver sem serem prejudicados, assim como nos trabalhadores rurais que morrem por inalar fumaça tóxica produzida pelo chorume.6 7

Como a pecuária precisa de muita terra, e uma vez que a demanda por carne continua aumentando, mais e mais habitats antigos estão sendo destruídos para dar lugar a pasto ou para cultivar as plantações necessárias para produzir ração utilizada na alimentação de animais da pecuária intensiva. Essa destruição está tendo um impacto enorme e devastador na vida selvagem. A humanidade destruiu 60% de todas as populações de animais desde 1970, e os principais culpados são a agricultura, a caça e a pesca. Se parássemos de comer todos os produtos de origem animal, poderíamos viver e deixar os animais selvagens viverem também. 8

E o que dizer sobre os animais presos em gaiolas e jaulas, que vivem em galpões imundos ou confinados em currais de engorda onde não há nada para fazer a não ser ficar de pé o dia inteiro? E os animais que são transportados por dias a fio, muitas vezes sem comida ou descanso, apenas para terem a garganta cortada quando chegarem ao destino final? Esses animais não merecem esse tratamento. Eles querem viver.

Ser vegano é uma escolha que ajuda outras pessoas a prosperar também. Nosso ethos é precisamente: viver e deixar viver.

Participe agora de nossa campanha para experimentar o veganismo por 31 dias em janeiro com o nosso apoio. Você receberá, gratuitamente, acesso ao Guia de saúde e nutrição, às Receitas Veganas e ao Guia de veganismo para iniciantes.

Participe e experimente o veganismo em janeiro

Participe