As galinhas põem ovos de qualquer maneira, então não há problema em comê-los

As galinhas foram selecionadas geneticamente para botar muito mais ovos do que o natural, e isso tem um custo significativo para a sua saúde. Seus primos selvagens, como o galo-banquiva, botam de 10 a 15 ovos por ano, principalmente na primavera,1 mas nós criamos aves para botar ovos durante o ano todo.

Cada casca de ovo consiste em 90 a 95% de carbonato de cálcio,2 o que significa que é necessário muito mais cálcio do que seria natural, e o excedente é extraído diretamente dos ossos das aves. Isso, associado à falta de oportunidade de exercício, leva a uma fragilidade dos ossos ou osteoporose,3 o que pode levar a fraturas ósseas espontâneas.4 Imagine a agonia de ficar em pé, confinado em um espaço minúsculo com muitos outros, com as pernas quebradas. O alívio da dor não é dado às galinhas em fazendas comerciais, pois o custo supera os lucros. Elas são largadas sofrendo ou são mortas.

A maioria das galinhas poedeiras leva vidas miseráveis ​​dentro das gaiolas. Ali não há nada para fazer a não ser ficar de pé em uma rede de arame e ver seus ovos rolarem. Na natureza, elas podem ciscar na terra, andar livremente, ficar empoleiradas e bater as asas; podem construir ninhos e cuidar de seus filhotes.

Nas fazendas, elas não podem fazer nada disso, e não há aposentadoria feliz para a galinha que já não bota mais ovos. Quando sua produtividade diminui, elas são enviadas para o abate, e novas aves tomam seu lugar.

Todo esse sofrimento continua apenas porque as pessoas compram ovos.

Participe agora de nossa campanha para experimentar o veganismo por 31 dias em janeiro com o nosso apoio. Você receberá, gratuitamente, acesso ao Guia de saúde e nutrição, às Receitas Veganas e ao Guia de veganismo para iniciantes.

Participe e experimente o veganismo em janeiro

Participe