É natural comer carne?

O que é “natural”? Uma galinha não poder viver mais do que seis semanas? Um peru não conseguir se reproduzir sem intervenção humana? Uma vaca ser criada de forma seletiva para produzir mais leite do que a sua saúde suporta?

Na indústria da alimentação, os animais são inseminados artificialmente, sofrem várias mutilações e são criados seletivamente para se reproduzirem frequentemente. Eles são forçados a ganhar peso rapidamente, com exceção das galinhas poedeiras, que são criadas para não engordar, pois isso seria um desperdício de comida. Além disso, os animais são alimentados com ração industrializada, expostos a uma iluminação artificial que controla a duração do dia deles e o ciclo reprodutivo das fêmeas é manipulado por meio de hormônios inseridos em suas vaginas. Não dá para imaginar nada mais antinatural do que a indústria pecuária.

Muitas vezes, o que as pessoas querem dizer com essa pergunta é: “Mas não foi sempre assim? ou “O nosso corpo não foi feito para ingerirmos carne?” As respostas para essas perguntas são, respectivamente, “não” e “não é bem assim”.

O “cardápio” dos nossos antepassados era influenciado pelo período em que viveram e pelo local que habitavam. Isso sem contar o papel do clima e das estações do ano. Portanto, não podemos generalizar e sair dizendo por aí que tipo de alimento os humanos “comem desde os primórdios”. Porém, o arqueólogo Dr. Richard Leakey afirma que os nossos antepassados pré-históricos se alimentavam, inicialmente, de vegetais. “Não conseguimos cortar carne ou rasgar peles com as mãos, bem como não seríamos capazes de lidar com alimentos que precisavam de caninos grandes”.

Ele tem razão.

Observe as suas mãos. Elas são inúteis quando o assunto é cortar carne. E a nossa falta de velocidade permitiria que, até mesmo, um antílope manco nos ultrapassasse com facilidade. Nada disso é um problema para os carnívoros de verdade, como os jaguares e os tigres.

Em relação aos dentes caninos que as pessoas insistem em dizer são  “provas” da nossa vocação para comer carne, eles não têm nada a ver com os caninos dos carnívoros. Na verdade, eles são classificados de forma errada.

É claro que somos capazes de comer um pouco de carne, mas os nossos corpos nunca se adaptaram a isso de verdade. O intestino humano é longo e mais parecido com os dos herbívoros do que com os dos carnívoros. O intestino destes é mais delgado, pois precisam eliminar a carne rapidamente antes que ela apodreça e cause a morte deles.

A intoxicação alimentar em humanos é causada, principalmente, por produtos de origem animal, isso sem contar que a carne prejudica o corpo humano de outras formas, aumentando as taxas de doenças cardíacas, alguns tipos de câncer e diabetes. O veganismo nos protege dessas doenças e de várias outras.

Em relação aos animais que comem outros animais, alguns realmente fazem isso e outros não. Para alguns, essa é a única opção. Um leão, por exemplo, precisa apenas de carne para sobreviver. Nada mais é suficiente para ele.

Nós temos liberdade para escolher e os nossos corpos vão nos agradecer pelo veganismo.

BAIXE NOSSO GUIA Assine a petição


Este artigo foi publicado pela primeira vez no site Veganuary.

Experimente o veganismo

BAIXE NOSSO GUIA